Samurai Bringer

Eu sei, eu falo que estou cansado de roguelites até um dar as caras e eu pensar “hmm… será que eu estou mesmo cansado do gênero?”. O caso da vez foi Samurai Bringer da Alphawing, que sai dai 21 de abril no PC, PlayStation 4 e Nintendo Switch por US$9,99. Preço no Brasil ainda não foi divulgado.

Conceitualmente “Samurai Bringer” não traz nada de muito novo para a mesa. Lute em mapas gerados proceduralmente, evolua seu personagem com meta progressão, elimine 100 generais até destruir o dragão Orochi.

O que o torna diferente dos outros tantos que permeiam as lojas digitais é o seu sistema de personalização de habilidades. Você pode obter uma arma simples e misturá-la com habilidades extras, dano elemental e por aí vai. É um grau de “liberdade” que muitos outros roguelites tendem a deixar na mão do “RNG” enquanto roguelikes tradicionais dão mais espaço para isso.

Se vai funcionar no caso de “Samurai Bringer” ou não, ainda não tenho a resposta. Entretanto, a união da estética visual usada pela Alphawing, a quantidade de armas e variedade de equipamentos mostrada no trailer de anúncio, e a promessa de um roguelite que não vá me destruir de tédio já é mais do que o suficiente para entrar na minha lista de interesse.

Roguelite “Samurai Bringer” promete grande personalização de habilidades

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.