Total War: Warhammer III

Vocês já viram aquelas pinturas de bibliotecas durante o período medieval, repletas de livros imensos em monastérios? Manuscritos que devem ter demorado semanas para serem copiados? Pois então, é assim que me sinto quando leio as notas de atualização para “Total War: Warhammer III”. A versão 2.2, lançada nesta semana, não foi diferente.

Para começo de conversa, listar tudo o que foi alterado, alterado ou modificado nesta mera nota seria um desperdício do meu e do seu tempo. O que importa é que agora o jogo conta com ainda mais unidades por meio do “Regiments of Renown III”, gratuita para todos os jogadores e que adiciona tropas para Grand Cathay, Khorne, Kislev, Nurgle, os Ogre Kingdoms, Slaneesh e Tzeentch.

As novas unidades, como os outros “Regiments of Renown” são voltadas para o end game e possuem um custo de recrutamento / manutenção muito alto. Em contrapartida, elas são capazes de alterar o rumo de uma batalha.

Vide o “The Green Guardian” de Grand Cathay cuja habilidade “Redirecting Aura” faz com que flechas ou outros projéteis sejam redirecionados de volta para as tropas inimigas. Agora imagine lutar contra esta monstruosidade e lançar uma pedra nele. Pois é.

Outro que me chamou a atenção foi o “Uncle Furuncle” dos Nurgle, que é capaz de se curar enquanto causa dano aos inimigos que estão ao seu redor. Como isso funciona? Eu sei lá, são os Nurgle, eles são nojentos e asquerosos por natureza.

Agora a minha adição favorita – e não nego a minha parcialidade para a facção – é a inclusão do Vermintide como uma possível crise para endgame. Se você conhece um tiquinho da história de Warhammer, sabe que o Vermintide é o mais puro caos com Skaven saindo de tudo quanto é buraco e destruindo cidades. Estou muito curioso em ver como isso vai se desenrolar no mapa de “Total War: Warhammer III”.

Como era esperado, o Immortal Empires – que continua em etapa beta – também sofreu grandes mudanças. A Creative Assembly ajustou valores para múltiplas facções para que batalhas de cerco sejam menos frequentes. Esta vinha sendo uma crítica contínua desde que o modo foi ao ar e é muito bom saber que eu não vou ter que lutar a minha 20ª batalha de cerco no mesmo turno.

A agressividade da IA também foi alterada, que agora tem o potencial de atacar cidades, alocar pontos de experiência e usará mais agentes para te perturbar. Considerando que ela era um tanto passiva no modo Immortal Empires, esta é uma boa mudança. A Creative Assembly apontou que continuará a monitorar como os jogadores respondem para essas alterações e se necessário fará mais ajustes.

Como eu não posso me multiplicar, eu ainda não tive a chance de ver todas as alterações em primeira mão. Bem, isto seria um pouco impossível considerando o gigantesco escopo de Total War: Warhammer III e Immortal Empires, mas é sempre bom ver a Creative Assembly trazendo mais conteúdo e corrigindo bugs.

O vídeo abaixo dá uma pincelada geral do que esperar da atualização. Se você tem uma facção favorita, recomendo que você vá direto para o site oficial da Creative Assembly para ver o que mudou nela.

“Total War: Warhammer III” agora tem nova crise para o endgame

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.