Análise – Line of Defense Tactics

Levar uma experiência mobile para o computador de uma forma agradável nem sempre é um trabalho fácil, Line of Defense Tactics tenta isso, ele conseguiu? Em partes.

Criado como parte de um universo maior, o MMO Line of Defense, a versão Tactics coloca o jogador em 16 missões no estilo XCOM, mas com um pouco mais de dinamismo.

A história gira em torno de um grupo de quatros soldados no mesmo universo de 3000AD, a série criada por Derek Smart. Infelizmente nada te faz se importar com eles ou qualquer coisa.

Cheia de cenas desinteressantes, ela acaba por se aproveitar dos mais comuns estereótipos de ficção científica, inclusive reviravoltas e tudo mais.

Line of Defense Tactics

Na hora do gameplay, a coisa melhora um pouco. O sistema de combate é simples, clique em seu personagem, arraste até aonde deseja leva-lo e pronto.

Cada um dos seus soldados conta com habilidades especiais, que serão muito uteis durantes as missões. Mas o essencial é o sistema de cover. Sem ele, você estará morto em questão de segundos então preste bem atenção em relação ao posicionamento de seus soldados. Há uma sensação de progressão com novas abilidades, armas e equipamentos destravadas ao passar de fase. Foi o que mais me prendeu para terminá-lo.

Em conjunto, existem também missões no espaço, com naves e tudo mais. Preferi as missões terrestres graças a variação de objetivos e uma interface melhor.

Line of Defense Tactics

O grande problema de Line of Defense Tactics se encontra nos controles da versão PC. Por ser desenvolvido originalmente para aparelhos mobile, a disposição de menus e ações ficaram um pouco estranhas de se reproduzir na base do mouse e teclado. Não que seja ruim, é jogável, mas poderia ser melhor.

Tecnicamente, não há muito o que configurar em Line of Defense Tactics, os gráficos são medianos. Bons para um aparelho mobile, não tão bons no computador. O mais interessante mesmo seria a parte estética, mas se mantém no mesmo estilão sci-fi genérico que estamos acostumados a ver.

Entre as 16 missões, todas elas foram relativamente fáceis, algo meio que de se esperar de um game mobile. O jogo no geral não dura tempo suficiente para você achar que foi longo demais ou gastou dinheiro à toa.

Line of Defense Tactics

Aliás, quando se trata em dinheiro, é um ponto complicado para se recomendar. Enquanto as versões mobile são cheias de in-app-purchases, a versão PC não tem nada disso. Em contrapartida, você tem o valor salgado de R$ 44,90.

Todo o conteúdo do game justifica esse preço? Talvez não. Se fosse vendido a R$ 35, ou até R$ 30 para ser equivalente aos típicos US$ 15, va lá, mas com R$ 44,90 existem melhores opções no Steam.

Line of Defense Tactics não é ruim, mas também não reinventa nada demais. É um jogo mediano com controles que poderiam ser melhorados e um preço que não foi muito do meu agrado. Se tens dúvida, recomendo testar a demo antes de comprar. Me diverti no meu tempo, mas esperaria uma sale antes de jogar R$ 44,90 nele.

A análise foi feita com base em uma cópia enviada pela 3000AD

Análise – Line of Defense Tactics

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.