Primeiras Impressões- Assault Android Cactus

Eu amo shmups, Touhou Mushihimesama, R-type, entre outros. Assault Android Cactus vem pra trazer ainda mais força para um gênero que não é tão visto nos PCs. Ele está disponível em acesso antecipado via Steam.

Disponível por meio do Early Access no Steam, Você controlará oitos robôs diferentes por meio de 25 fases em forma de arenas. Para sobreviver, cada um dos robôs conta com uma arma primária e uma secundária, mais forte.

A minha preferida foi a Lemon, um robô que tem como arma primária um tiro múltiplo e poderosos mísseis na secundária. Em conjunto, há diferentes tipos de powerups que são obtidos dos inimigos para lhe ajudar na sua jornada.

Alguns podem aumentar o seu potencial de tiro, acelerar sua movimentação pela área, travar os inimigos em uma área e o mais importante, a bateria.

Ao contrário do que se espera de um shoot-em-up, você não morre com um tiro, mas sim fica desacordado. Você pode tomar quanto dano quiser enquanto tiver bateria, que faz seu personagem funcionar. Ao momento que ela acabar, é game over.

“Ah, então é só eu ficar parado que tá tudo certo?”, não. A bateria acaba constantemente, sendo necessário destruir os inimigos para pegar as baterias e elas não aparecem de todo o tipo ou a toda hora.

No geral, as fases me pareceram bem fáceis, não tive dificuldade de termina-las em um rank A ou B, exceto nos chefões. Eles não são nada fáceis, vos digo. O primeiro, apanhei que nem uma vagabunda por uma boa hora até entender a melhor maneira de vencê-lo. No segundo, recém adicionado, já estava mais experiente e não tive tanta dor de cabeça. Se você quer ainda mais desafio, a desenvolvedora promete que lançará em algum ponto um modo similar ao Dark World do Super Meat Boy.

Você poderá jogar as mesmas fases, mas com inimigos mais fortes, em maior quantidade e de fases mais avançadas desde a primeira. Não há data lançamento, porém. Sabe o melhor? Fazer isso com quatro amigos.

Assault Android Cactus

Só joguei com duas pessoas, já que o multiplayer é local, a desenvolvedora aponta que a estrutura do jogo não permite implementar online, o que é uma pena. Eu também gostaria de um estilo touhou onde um hit = morte, mas não parece ser o que a desenvolvedora planeja. Quando se acaba as 25 fases, Assault Android Cactus ainda contará com o modo Endless e Boss Rush. Não pude testar ambos, já que ainda não foram implementados no Early Access.

Na parte técnica, ele faz o seu trabalho, mas não é nada que pareceu interessante, pelo menos nesse estágio do desenvolvimento. Os efeitos de explosão e a quantidade de partículas na tela e manter uma boa taxa de quadros são um ponto positivo, porém.

Já a parte estética, eu não sou o maior fã dos personagens, mas os inimigos são bem animados, assim como os chefões, com padrões de ataques belos. Os cenários, bem, são simples. Apenas uma fase ganhou meu interesse.

Nela, o cenário muda completamente a cada onda de inimigos, como as áreas de Portal 2, por mim, faria um capítulo só disso. Talvez no Endless Rush. Pelo o que jogamos da versão Early Access de Assault Android Cactus, parece que o título está em uma boa evolução e pode se tornar um grande hit para aqueles que tem um interesse em shmups.

Posso não ficar contente com o estilo das fases, mas não nego que é viciante aumentar a sua pontuação constantemente. Torcemos para novas atualizações em breve.

Primeiras Impressões- Assault Android Cactus

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.