Rogue Command

Veja bem, eu sei que eu e você estamos cansados dessa ideia de “e se transformarmos tudo em um jogo com cartas?”. Para a maioria dos jogos é uma adição desnecessária ou — o que vem tem acontecido com mais frequência — destrambelhada. O recém-anunciado Rogue Command ainda precisa provar se a ideia de juntar RTS, cartas e elementos “roguelike” é uma boa ideia.

Em desenvolvimento por feneq, o jogo visa usar uma estrutura bem similar a de “Slay The Spire” onde cada “ponto” é um novo mapa. Complete-o e você ganha novas cartas, modificadores para as suas unidades e novos tipos de unidade.

Rogue Command pode não ser o primeiro a fazer isso, já que o mesmo foi tentado na (desastrosa) campanha de Planetary Annihilation. Todavia, Rogue Command aparenta seguir um caminho mais “clássico” de base building do que as batalhas enormes pelas quais os sucessores espirituais de Total Annihilation são conhecidas.

Uma coisa é certa: Rogue Command ainda vai passar por um bom período de acesso antecipado no Steam antes de ser totalmente lançado; ficarei bastante atento para ver como ele vai se desenrolar e quais os planos de feneq para ele não virar só mais uma “homenagem a Command & Conquer mas com cartas”.

Veja o trailer de anúncio e mais imagens abaixo:

Mistura de RTS e cartas, Rogue Command sai este ano

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.