Storm of Arrrows

Mais um ano de Field of Glory 2: Mediaval, ou seja, mais um ano de DLCs para o game de estratégia em turnos. “Storm of Arrows”, no entanto, aparenta ser o mais impressionante de todos até o momento. Disponível a partir desta quinta-feira (10) por R$28,99 ele expande o jogo com 45 novos tipos de unidades e 96 listas de exércitos.

As unidades, que começam a incluir o uso de pólvora em artilharias, é mais um passo para que Field of Glory 2: Medieval deixe de ser o “grind” entre dois grandes exércitos – um problema que a Byzantine Games tem tentado amenizar desde o lançamento.

Do que eu venho jogado nos últimos dias, “Storm of Arrows” sem sombra de dúvidas é mais “Field of Glory 2: Medieval” para quem gosta do jogo. Há sim uma gigantesca mudança de ritmo com os novos exércitos e unidades, mas o estilo rígido do sistema de campanha, a falta de interesse da Byzantine Games em criar uma camada estratégica como Sengoku Jidai ou integrar com um novo Field of Glory: Empires é decepcionante.

Como apontei, quem é fiel a série vai se divertir bastante com os novos exércitos e especialmente a maior variedade de mapas e objetivos que acompanham “Storm of Arrows”, só queria que tanto a Slitherine quanto a Byzantine Games tirasse um pouco o foco de Field of Glory 2 para ser um jogo de torneios e mais um jogo de estratégia com um apelo mais abrangente.

“Storm of Arrows” adiciona a Guerra dos Cem Anos em Field of Glory 2: Medieval

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.