South of the Circle

Por que eu me meto nessas enrascadas? Porque eu não posso olhar para um jogo como “South of the Circle” da State of Play e pensar “hmm… acho que não é uma boa ideia jogar”. Claro que não, eu devo cair de cabeça e talvez chorar horrores quando ele for lançado em 3 de agosto no PC, Switch, PlayStation 4/5 e Xbox. Seu preço no Brasil ainda não foi divulgado.

O motivo para o choro? O game conta a história de Peter que, por eventos estranhos na Antártida, é enviado pela universidade de Cambridge para desvendar o que está ocorrendo de verdade. O voo em que ele está cai e agora ele precisa sobreviver.

Neste meio tempo o “South of the Circle” alterna entre o presente e o passado mostrando o peso de algumas decisões de Peter, o relacionamento entre ele e a sua colega Clara, e como as escolhas que ele fez levaram até onde ele está.

Ao que tudo indica, “South of the Circle” está mais interessado em apresentar uma história do que inovar na jogabilidade ou fazer você realizar tarefas complexas. Eu tenho um ponto muito fraco para histórias que falam sobre o passado por conta do meu próprio passado ser um tanto difícil de descrever em poucas palavras. Bem, eu acho que o passado de qualquer pessoa é difícil de descrever em poucas palavras, mas cada um sabe o peso que carrega.

Será que é a idade que está chegando e eu estou ficando mais ciente das minhas próprias experiências de vida? Não sei ao certo, mas no que diz respeito a “South of the Circle”, torço para que a história seja tão emocionante quanto o seu mais recente trailer e não um desastre como certos jogos que se chamam “Twelve Minutes”.

Espere impressões, se eu não me debulhar em lágrimas, assim que possível.

Adventure “South of the Circle” já tem data para sair

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.