Desde os primeiros rumores sobre a criação de um “Steambox”, tenho visto comentários no mínimo… peculiares vindo de diversas pessoas. Alguns anunciavam o fim da Valve, enquanto outros apontavam que o Steambox não funcionaria direito como um console e falharia antes mesmo de lançar.

Aliás não existe um Steambox, existem steamboxes. Isto foi um termo apenas designado para categorizar até o momento alguns mini pcs que virão com o Steam pré-instalado. A primeira empresa a anunciar foi a Xi3 durante a CES 2013. De acordo com a Valve outras empresas apresentarão os seus modelos, assim como ela também tem algo em produção.

Não considero a criação de um mini computador com Steam o fim do mundo, mas acredito que a Valve terá um espaço de tempo relativamente pequeno para chamar a atenção da mídia e dos consumidores para ela.

Vamos analisar, ano passado tivemos o lançamento do WiiU, neste pelo menos veremos alguma informação concreta sobre o novo Xbox e o novo PlayStation. Neste meio tempo, o foco pode ficar nas mãos da valve caso ela souber aproveitar o que o produto dela terá a oferecer.

Agora você está se perguntando “Uai, mas se não é um mini pc, não seria mais focado nos usuários de pc?”. Não acredito nisto, vejo boa parte da comunidade PC como o grupo mais elitista do universo. Algo como se pegássemos a comunidade de Dota 2 e expandisse para dez, quinze milhões de usuários. O que eles não querem é um mini pc que se porte como um console, com controle etc e tal.

O que eles querem são os controles precisos de seu mouse, seu teclado que custou 600 reais e o choro de outros jogadores os xingando de cheaters por serem bons enquanto desfrutam de uma saborosa bebida sentados em seu trono da superioridade.

O que querem acima de tudo isto são mais e mais jogos no Steam, não necessariamente para jogar, mas sim para os ter e aumentar seu ego virtual. Enfim, o artigo não é sobre o elitismo ou fanatismo de certas pessoas por suas máquinas.

Creio que o Steambox será um ótimo ponto de entrada para novas pessoas conhecerem pc gaming, só, nada mais. O custo de produzir as supostas caixinhas será tão baixa que se venderem pouco, ainda terão lucro. Assim que as pessoas se acostumarem com o steam big Picture mode, etc e tal, elas poderão assim, montar um PC mais potente e obviamente, utilizar o Steam.

Com isso, todo mundo ganha, a Valve, as desenvolvedoras da das peças e o consumidor.

O Steambox conseguirá estabelecer uma cultura de “vamos trocar de PC” em todas as pessoas? Acho pouquíssimo provável. Ela roubará pessoas da base de fans dos consoles da Microsoft ou Sony? Menos provável ainda. Ainda há uma parcela do mercado que está indecisa sobre o que fazer na próxima geração, são eles que serão o foco da Valve. O projeto ainda está nos seus primeiros passos, vamos aguardar para que mais informações apareçam antes que decretemos o fim da Valve.

Antes que você considere que a Valve irá mostrar o seu próprio “steambox” em breve, deixo este gif para exemplificar o meu pensamento sobre isto.

Steambox significará para o mercado

O que o Steambox significará para o mercado

About The Author
- Colaborador para a EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.