Análise – Out of The Park Baseball 16

Quando comecei a fazer reviews do Out of The Park Baseball em Out of The Park Baseball 14, o gerenciador de times de Baseball oferecia uma interface ligeiramente confusa, times não oficiais, muitas áreas que deixavam a desejar. Out of The Park Baseball 15 mudou completamente minha opinião sobre ele, uma nova interface, melhorias consideráveis. Out of The Park Baseball 16 continua esse legado deixado pelo antecessor e pelo visto, segue a ideia de que “se não está quebrado, não mexa”. Ele está disponível para compra no Steam e no site oficial da Out of The Park Developments.

A maior novidade dessa versão é a licença da MLB, a liga de Baseball americana. Ou seja, nada de nomes estranhos ou emblemas de times que tinham de ser editados para serem fiéis aos oficiais. Em conjunto, foram adicionadas novas ligas internacionais, como a Australian Baseball League, e ligas independentes no Japão. Todas elas com nomes e estatísticas reais de jogadores.

Para quem não tem paciência de jogar como gerente geral — responsável tanto pela área financeira quanto escalação de times e estratégia — OOTP 16 permite jogar apenas como o gerente. Este, fica encarregado apenas de definir as equipes principais e de base. O melhor dessa adição é cortar um pouco da “gordura” que existe pré-temporada e entre partidas. As temporadas que fiz como gerente eram menos cansativas, mas não menos recompensadoras. Isso graças a algumas pequenas mudanças.

Gerenciar uma equipe, que já era algo viciante, ficou melhor ainda. Agora os donos das equipes possuem objetivos tanto a longo como a curto prazo. Você pode iniciar sua carreira no San Francisco Giants com o objetivo de ganhar a série mundial. Ao mesmo tempo, outro objetivo a curto prazo será melhorar as habilidades de um pitcher ou de um rebatedor. Por meio desses sistemas, nunca senti que não havia algo a ser feito entre as partidas.

Pode parecer algo simples até, mas é uma mudança radical na maneira que você terá de gerenciar a equipe. A não finalização de tais objetivos agora tem um impacto na renovação de contrato para uma futura temporada com a equipe.

Aprender a gerenciar objetivos a curto e longo prazo – isso é apenas uma das novas tarefas adicionadas a OOTP16. Ao jogar como um gerente geral, terá de lidar com treinadores com traços de personalidade diferentes. Por exemplo, o treinador da sua equipe de base pode ter uma ideia diferente para a estrutura de treinamento e posicionamento do que você. Uns preferem serem agressivos nos primeiros innings, enquanto outros mantém a defensiva durante boa parte da partida e apostam em falhas da equipe oponente. Alguns desses treinadores podem ser favoritos da gerência da equipe e ao pensar na possibilidade de demiti-los – poderia irritar o meu dono e colocar a minha posição no time em risco.

Out of The Park Baseball 16

Compará-lo com Football Manager ainda é um tanto quanto injusto, não apenas pela diferença nos esportes. Out of The Park Baseball 16 ainda deixa a desejar em áreas da interface, principalmente no gerenciamento de atletas. O sistema de “Drag and drop” do OOTP 15 foi o primeiro passo a frente, enquanto OOTP16 adiciona uma busca refinada. Agora se pode buscar atletas na equipe ou na lista de trocas de acordo com certos atributos, como salário desejado, perspectivas de crescimento e muito mais.

O problema é que ambas as interfaces – gerenciamento e busca – ainda são poluídas demais. Para quem não é acostumado a jogar títulos de gerenciamento ficam perdidos e irão demorar algumas horas para compreender o que exatamente acontece na tela. Felizmente o sistema de finanças recebeu uma boa repaginada, inclusive com uma nova tela de contabilidade e aperfeiçoamentos no gerenciamento do dinheiro por parte da IA.

Confesso que nunca fui a fundo nas mudanças das finanças, é uma área que, assim como composição de equipes de base, coloco a IA para controlar boa parte do tempo. Ela faz um trabalho assustadoramente bom, jamais vi ela gastar mais dinheiro do que podia, ainda possuía uma boa quantidade de capital para comprar e vender jogadores.

As partidas sofreram poucas mudanças nessa versão. Os estádios 3D estão melhores animados em relação a trajetórias de voo de bolas – mas ainda longe do que eu almejo para um simulador do porte do Out of the Park Baseball. É uma novidade introduzida na versão 15, que pelo visto ainda demorará alguns anos para chegar ao ponto onde eu decida usá-la ao contrário da visão 2D. Para não desmerecer a Out of The Park Developments, agora existem 30 estágios oficiais da MLB no game.

Out of The Park Baseball 16 não me prende pelos sistemas, que já são bons, nem mesmo por todas melhorias, mas pelo quão real ele consegue ser. Cada pedaço de notícia, relatório de desenvolvimento de jogador. Tudo isso com um toque “humano”, meticulosamente escrito como eu esperaria que fosse da maneira real.

Está em ver minha equipe vencer algumas partidas, perder outras. Ler relatórios e mais relatórios para ver o que deu errado. Onde eu posso melhorar, se em deveria confiar da próxima vez no planejamento feito pelo técnico ao invés de tentar arriscar a sorte. Até mesmo nas bizarrices, como um jogador se envolver em um acidente de trânsito ou ser lesionar de outras maneiras, você tem aquela constante sensação de que a temporada de Baseball ocorre de forma natural sem a sua interferência.

A Out of The Park Developments mais uma vez acerta em cheio e cria um jogo excepcional. Não tão revolucionário quanto o antecessor, mas ainda assim uma ótima adição para os fãs de baseball.

A análise foi feita com base em uma cópia enviada pela Out of The Park Developments

Out of The Park Baseball 16

Total
Melhorias significativas em partes da interface e na inteligência artificial tornam Out of The Park Baseball 16 uma ótima pedida para quem gosta de gerenciadores de equipes e fãs de baseball.
Ótimo

Análise – Out of The Park Baseball 16

About The Author
- Colaborador para a EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.