Creio que uma das maiores questões que as pessoas têm com Kingdom Come: Deliverance é: como funciona exatamente, o RPG? A Warhorse Studios lançou nessa semana um enorme vídeo esclarecedor das principais mecânicas, e ambientação do game.

O jogo conta a história de Henry, filho de um ferreiro, que após ter seus pais assassinados a mando do rei Sigismund, procura a ajuda de Sir Radzig para ter o treinamento que precisa para poder vingar sua família. O ponto principal que o diferencia de outros RPGs do gênero é a busca por autenticidade, ferimentos irão requerer diferentes tipos de curativos para sarar. Navegar por Boémia, mesmo que seja via “fast travel”, pode ocasionar de fazer com que o jogador caia em uma emboscada. Já as quests em si não possuem indicadores e requerem uma maior atenção na narrativa.

Também foi detalhado o sistema de combate. Após “travar a mira no oponente”, você pode escolher entre cinco posições primárias para tentar acertar o ponto fraco do adversário. Se ambas as espadas estiverem na mesma posição, o inimigo então irá defender. Outro grande influenciador do combate é o sistema de armadura, que é separado em 14 slots e vestido como “camadas”. Jogadores que optarem por vestir todas poderão sobreviver a golpes mais poderosos, mas terão um gasto de stamina muito maior.

Também haverá um foco muito grande no “não-combate”, ou seja, opção de completar quests ou fugir de situações complexas pelo diálogo. Algo que sinto falta em RPGs em primeira pessoa (e ainda bastante presente em jogos como Pillars of Eternity e especialmente Tyranny).

Kingdom Come: Deliverance chega em 13 de fevereiro para PlayStation 4, Xbox One e PC.

Vídeo de 16 minutos de Kingdom Come: Deliverance mostra combate, exploração e quests

About The Author
- Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.