I am Bread

Como seria viver um dia na vida de um… pão? Não, não pergunto isso de uma maneira metafórica. Como seria se uma fatia de pão tivesse “vida”? Não sei, parece que é o que os desenvolvedores de I am Bread “buscam” responder.

Primeiras impressões: I am Bread

I Am Bread, desenvolvido pelos criadores de Surgeon Simulator, parece uma mistura de Katamari com QWOP. Você, o pão, tem de completar objetivos específicos em cada mapa. Na versão de Early Access bem… você tem de virar uma torrada.

No meio do caminho, o jogador enfrentará desafios como o cenário em si. Quanto mais tempo o pão ficar no chão, por exemplo, menos comestível ele fica. Eu sei que soa absurdo, mas é como o game funciona.

Cada fase oferece um desafio diferente. A cozinha, por exemplo requer com que você pule uma bancada, enquanto a sala faz com que você tenha de pular várias caixas, diminui a quantidade de superfícies que não te causam dano e por aí vai. O jogo te dá uma pontuação baseada na quantidade de tempo que você demorou para completar o objetivo em conjunto com o quão comestível é o seu pão.

Em comparação com Surgeon Simulator, I am Bread é muito mais “jogo”, do que uma coletânea de mini-games. A Bossa Studios se focou no aspecto jogador X ambiente, onde existem variadas maneiras de se alcançar o objetivo sem ter de lutar tanto com os controles como em seu título antecessor.

Eles ainda são um pequeno desafio, já que você tem de controlar o pão por cada canto dele. Por exemplo, aperte 3 e 4 para que esses cantos do pão fiquem fixos na superfície enquanto o resto se movimenta.

No futuro I am Bread receberá também um modo história e mais desafios. Como vai ser a história de um pão? Eu não tenho a menor ideia, mas independente do que a Bossa Studios planeja, será engraçado.

I am Bread

Se você planeja comprar I am Bread e não tem um controle, a versão Early Access pode não ser a melhor hora. A configuração do mouse e teclado no momento deixa a desejar. Se você tem um controle de Xbox 360, PlayStation 3/4 por aí, use-o para uma experiência melhor.

É um game com grande foco em criar pequenos momentos engraçados. Enquanto tentava alcançar o objetivo, sem querer prendi meu pão dentro da máquina de lavar, enquanto outra vez sem querer fiz com que derrubasse uma cesta de ovos pelo chão (e cair junto).

Acredito que o ponto forte do game serão os desafios que o jogador poderá impor a si mesmo. “Será que consigo chegar até aquela estante?” ou “Se eu seguir esse caminho mais complexo?” É o típico sandbox onde você faz boa parte da sua diversão. Ainda mais se você estiver com um grupo de amigos e quiser revezar objetivos criados por vocês, é garantia de algumas boas risadas.

Comprar ou não em Steam Early Access vai depender do quanto você aceita lidar com bugs em um jogo. I am Bread ainda está no início do desenvolvimento, mas já mostra um polimento pouco visto para games que estão nessa categoria.

I am Bread

O único problema visto foram os controles do teclado, enquanto crashes ou bugs durante as partidas foi bem raro. Vale apontar também que a Bossa Studios tem se empenhado constantemente para lançar atualizações o mais breve o possível.

Um dos grandes problemas em jogos que estão no Early Access é que atualizações as vezes podem demorar meses para chegar. Em apenas uma semana muitos dos principais problemas em relação aos controles foram solucionados.

Se o conceito do jogo pareceu interessante para você, ele se encontra no Steam Early Access por apenas R$ 19,90. A desenvolvedora ainda não definiu qual será o preço final, portanto quanto mais rápido comprar, mais barato pagará.

I am Bread – um dia na vida de um pão

About The Author
-

Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.