Olha, eu não vou dizer que fico entusiasmado com essa ideia de mistura de gêneros como estratégia e 4X, estratégia e isso ou aquilo. Raramente dá certo, mas quando dá, é ótimo. Driftland, atualmente em acesso antecipado e em desenvolvimento pela Star Drifters, é a nova promessa para 2018.

Toda a ação acontece em ilhas flutuantes, originadas da destruição do planeta que dá nome ao jogo, e o jogador controla um mago humano ou elfo que deve então unir tais ilhas e construir seu reino. Enquanto o sistema de diplomacia e expansão se assemelha ao de um 4X, as batalhas mais parecem com um de um jogo de estratégia em tempo real – mais do que games como Distant Worlds ou Stardrive, que também fizeram uso do combate em tempo real no seu design.

Atualmente a versão oferece duas das quatro raças disponíveis, assim como mapas gerados proceduralmente. Com uma previsão de estar de 6 a 12 meses em desenvolvimento, a Star Drifters planeja adicionar um modo campanha e partidas multiplayer.

Tanto o trailer como o conceito me lembraram de Warlock 2: The Exiled, lançado em 2014 pela Ino-Co Plus. Diferente do que o demonstrado pela Star Drifters, Warlock 2 tinha uma grande influência de Civilization V e o clássico Master of Magic. Driftland segue os passos, ao menos em questão de mecânicas, dos de Northgard — que escrevi sobre anteriormente — Ambos os jogos tem suas peculiaridades e ambos são interessantes, vamos ver como Driftland vai se sair. Como de costume, espere impressões em breve.

Driftland promete mistura de estratégia em tempo real com 4X

About The Author
-

Ex-colaborador da EGW e redator para o BABOO. Tento constantemente entender sistemas e relacioná-los às emoções e reações que sentimos nos jogos.