Há alguns dias atrás, foi liberado um vídeo que explora um pouco da campanha de Total War: ROME II. Nele, Patricia Ryniak e Dominique Starr discutem sobre algumas das possibilidades que podem ser esperadas para o próximo título da franquia Total War.

Após as devidas apresentações, o vídeo introduz o menu principal do jogo, aparente mais organizado em relação ao seu predecessor imediato, Shogun 2. Esteticamente ele também não deixa a desejar.

Ao selecionar a opção de uma nova campanha, somos recepcionados com a clássica escolha de facções, uma boa parte do vídeo foi reservada para explicar algumas funções. No caso de Rome II, existem as facções e ainda grupos menores, podendo ser referidos por “dinastias” ou “famílias” segundo o que foi visto em vídeo.

Existe uma série de vantagens que entram em vigor de acordo com a facção  e o subgrupo escolhido; a possibilidade de combinações não está nem perto de ser pequena.

Foi falado também sobre as diferentes condições de vitória. Se você é um jogador de Civilization, está familiarizado em ter várias formas de vencer o jogo. Em Rome II existem três, a vitória militar, a econômica e a cultural. Os objetivos variam consideravelmente de acordo com a opção escolhida para seguir, então é impraticável que o jogador tente trabalhar em todas simultaneamente e espere resultados favoráveis.

Já no mapa de campanha, nos é apresentado um jogo já desenvolvido, com muitos turnos decorridos e vários territórios no controle dos narradores, justamente para tornar possível o comentário sobre alguns fatores presentes em Total War: Rome II.

A porção enorme de terra presente no jogo justifica as inúmeras facções que mostram as caras durante o vídeo. O mapa tático também ilustra a diplomacia com cada uma delas, detalhando o que agrada e o que incita o desprezo desses grupos em relação ao jogador. As variáveis tem caráter tanto econômico quanto militar ou cultural, são muitas possibilidades para fazer com que uma facção específica ame ou odeie as suas decisões.

Também foram feitos alguns comentários sobre as cidades. Além das estruturas que possibilitam a produção de exércitos ou trazem dinheiro ao seu império, é possível escolher um bônus variável, que vai desde o encorajamento comercial até uma maior facilidade em recrutar mercenários; depende unicamente do seu objetivo.

Não houve nenhuma batalha durante a apresentação do vídeo, o foco definitivamente era a campanha. Isso não é problema, pois existem outros vídeos que exploram muito bem justamente o que falta no link abaixo.

Sem mais delongas, confira o que pode ser esperado na hora de jogar a campanha de Total War: Rome II.

Caso o leitor ainda não tenha visto a outra cara de Rome II, recomendamos que você assista ao gameplay da batalha em Cartago e à batalha do Nilo.

Total War: Rome II tem sua Campanha revelada.

| Notícias |
About The Author
- Estudante de engenharia que tem como principal hobby os jogos de estratégia competitivos e os títulos que são fáceis de entender mas difíceis de dominar. Jogo desde que um computador entrou pela porta da de casa e, apesar de já ter passado pela fase dos consoles da Sony, está claro que o PC é minha preferência insubstituível.